IMG_4927I.S.B.N: 9789895123315 / Páginas: 276 / Editora: Chiado Editora

A Garota que Tinha Medo – Marina é uma jovem que faz tratamento para a síndrome do pânico. Às voltas com o ingresso na universidade, um novo romance e novas experiências, Marina tem seu primeiro ataque de pânico. Sua vida vira de cabeça para baixo no momento mais inapropriado possível e então psiquiatras e psicólogos entram em cena. Acompanhamos suas idas ao psiquiatra e ao psicólogo, o tratamento farmacológico e a psicoterapia. Ao mesmo tempo, conhecemos detalhes de sua vida amorosa e sexual, universitária e profissional, social e familiar na medida em que elas são marcadas pela síndrome. Um tema atual. Uma excelente obra tanto para conhecimento do quadro clínico como entretenimento, narrada com maestria e de uma sensibilidade notável.

Vou começar essa resenha com um trecho do livro: “Você não sabe nada sobre a síndrome do pânico? À parte todo o seu desconhecimento, tenha ao menos um bom coração. Esse já é metade do conhecimento de que você precisa. A bem dizer, sem amor, todo o seu conhecimento sobre a síndrome se torna inútil.

IMG_4931Conhecer Marina foi uma das melhores coisas que me aconteceu, digo isso porque logo nas primeiras páginas me identifiquei muito com a sua personalidade. Ela curte fotografia (tem até conta no Flickr), tem um blog de resenhas literárias e estuda jornalismo, lendo tudo isso ninguém imagina o drama que ela vive.

Marina tem síndrome do pânico e antes de ela ser diagnosticada conhecemos suas crises. Eu tenho alguns amigos panicosos, mas apesar de ler artigos falando a respeito, nunca presenciei uma crise e depois das descrições da personagem comecei a imaginar a reação que eu teria se eu presenciasse uma, pois me senti mal só de pensar o que ela sentia.

IMG_4932

Dizem que não nascemos com a sensação de medo, mas que a adquirimos ou a aprendemos; e o aprendizado se dá através da observação de terceiros. Ver alguém com medo exagerado diante de um trovão ou de uma barata pode nos levar, na tenra infância, a acreditar que os trovões ou as baratas são exageradamente perigosos, E então crescemos com essa ideia adormecida em algum lugar de nossas mentes. Numa linguagem mais clara, nossos medos irracionais, estão em nosso inconsciente, nesse terremo em que quase ninguém pisa.

O livro é focado na doença de Marina, mas também conhecemos outros personagens que fazem parte da vida dela. Ela mora com os pais e o irmão mais novo, a mãe dela é muito severa (inclusive acho que a forma dela educar contribuiu muito para essas crises), namora com o Julio (um rapaz que conheceu pela internet, mas que mora no mesmo condomínio que ela), una amiga de infância e algumas amizades (erradas) que ela fez quando entrou na faculdade.

IMG_4930

 Quem supera seus medos é mais corajoso que aquele que nunca os teve ou jamais os enfrentou.

O livro é narrado em primeira pessoa e é dividido em sete partes, aprendemos sobre a doença junto com a personagem (aprendemos literalmente, pois participamos das consultas, exames e idas ao psicólogo / psiquiatra na história). Achei isso muito importante, pois existe muito preconceito com os profissionais dessas áreas e muitas pessoas evitam de ir a consultas por acharem desnecessário.

Eu gostei tanto do livro que fiquei me perguntando se era realmente uma obra fictícia ou se era a biografia da vida de Marina, pois é tão detalhado que cogitei a possibilidade da história ser real.

IMG_4938

Foi triste ver a Marina perdendo amizades, auto estima, relacionamentos e a segurança de fazer ações simples que a doença dificultava a execução (como ir a igreja, pegar filas.,.), mas fiquei feliz em vê-la se tratando e conseguindo retomar sua vida e rotina, dar a volta por cima de todo preconceito e ignorância que a cercavam e ter um final feliz.

Alice no País das Maravilhas? Sim, também creio ter entrado pela toca do coelho e temido cartas de baralho quando não devia temê-las. Até que retiraram as folhas de meu rosto e acordei pra contar como foi.

IMG_4937Recomendo a leitura!
Obrigada Breno Melo por ter me dado a oportunidade de conhecer essa obra tão incrível.

Beijos!!

Comentários

Comentários